[ editar artigo]

"Se o papel do professor é dar aulas, enquanto ele dá aula, o aluno faz o quê?"

Eis que você, prof, está dando sua aula, super empolgado com aquele tema que você adora e que acha incrível! Aí o aluno levanta a mão e pergunta: “Prof, isso vai cair na prova?” Eu sei, eu sei, nessa hora a gente se pergunta: “o que eu estou fazendo de errado?” Temos todo um sistema projetado para que esta seja a pergunta do nosso aluno. O professor dá a aula expositiva, o aluno faz as perguntas sobre suas dúvidas (ou não, porque às vezes ele não entendeu o mínimo para ter dúvidas), o professor prepara a prova com base em suas aulas, o aluno faz a prova para atingir a nota, o aluno é aprovado ou reprovado. Foi assim que nossos professores trabalharam conosco, e é assim que temos trabalhado com nossos alunos. Portanto, se tanta importância é dada à prova, que vai determinar se ele será aprovado ou não, é natural que essa seja uma preocupação importante para o aluno. As Universidades normalmente organizam as disciplinas teóricas no início do curso e a parte prática é enfatizada já no final do curso. Há, portanto, um descompasso entre a teoria e a prática. É difícil motivar um estudante em um cenário em que tudo que lhe é exigido é que ele atinja a nota mínima nas provas. Aí você pode estar pensando, “mas o sistema da escola/Universidade em que eu trabalho é esse, eu não posso mudar isso!!” De fato, há coisas que vão além do nosso controle. Mas você, prof, pode começar mudando a visão que você transmite durante a sua aula. Uma forma simples é, quando o aluno te perguntar se o conteúdo cai na prova, diga a ele: “Vamos falar do que realmente importa, qual a aplicação disso na sua prática profissional?” A forma de ressignificar esse conteúdo pode ser o desafio. Vamos juntos? 

 

Inova Docente
Ler conteúdo completo
Indicados para você