[ editar artigo]

A aula não precisa ser animada o tempo todo

A aula não precisa ser animada o tempo todo

É sabido que fazer é melhor do que apenas ouvir para o aprendizado. Aí entram as metodologias ativas, trazendo estratégias para convidarmos nossos alunos para fazerem alguma atividade e refletirem sobre o que estão fazendo.

Muitas das estratégias ativas de aprendizagem são complexas e exigem bastante trabalho dos alunos fora do horário de aula, o que nem sempre é viável dependendo do público com o qual se trabalha. Pense no aluno que estuda em um período e trabalha no restante do dia. Ele tem outras disciplinas além da sua. Isso sem mencionar as questões pessoais que também precisam de atenção.

Com a dificuldade de implementar essas estratégias complexas, muitos professores acabam no extremo oposto, adotando apenas as aulas inteiramente expositivas como abordagem de ensino.

Será que precisa ser assim?

Não, não precisa! É possível incluir momentos de interatividade em suas aulas, estimular os alunos a pensarem, sem que isso precise ocupar uma aula inteira, ou demande muito trabalho no período que não é de aula. 

Se bem planejados, esses momentos de interação podem despertar a curiosidade do aluno e ajudar a melhorar a aprendizagem.

Além disso, é interessante pensar que esses momentos de interação, se realmente engajarem os alunos, acabam "sobrepondo" os momentos mais cansativos das aulas expositivas. Assim, os alunos ficam com uma sensação positiva com relação à aula e ficarão mais motivados a comparecer nas próximas aulas e também mais abertos à proposição de novas atividades.

No nosso curso temos um módulo inteiro dedicado a ajudar você a elaborar estas estratégias que vão fazer a diferença na sua aula sem que você precisa transformá-la por completo.

Está preparado para esta transformação?

 

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você